08.01
Mergulhando na comédia com Single Parents, escrevendo música nova, e sendo mãe “cegamente e com amor”, Leighton Meester está tentando equilibrar tudo. Leighton Meester não é uma mãe solteira. Mas ela interpreta uma na TV.
“Como a mãe Angie D’Amato em Single Parentsda ABC, Meester é engraçada. Mas ela tem sido seriamente humilde ao interpretar uma mãe solteira. “Essa personagem obviamente tem muitos desafios e experiências que nunca enfrentei”, diz Meester sobre Angie, umaparalegal cujo parceiro a abandonou quando Angie estava grávida, “o que é parte do motivo que me fez querer aceita-la.”
A amada ex-membro de Gossip Girl se tornou mãe desde a época que ela criou a cultura pop adolescente e ícone fashion Blair Waldorf, que reinou desonestamente na escola privada no circuito do Upper East Side de 2007 a 2012. Depois de conhecer outra personagem de TV do nada com um seguimento de culto, Adam Brody, o Seth Cohen de “The O.C.”, no set do filme deles, “The Oranges”, Meester se casou com ele. O casal famosamente privado teve uma filha em 2015. A atriz foi escalada em Single Parents alguns anos depois de ela mesma ter se tornado mãe, o tempo do qual é apenas uma serendipidade, ela diz. “O fato de que eu sou uma mãe agora informou minhas decisões e me ajudou em cada passo do caminho, tanto com os desafios de ser mãe quanto com especificamente fazê-lo por conta própria. Felizmente, eu faço isso com um parceiro, mas, mesmo estando sozinha por curtos períodos de tempo, eu dou muito mais crédito àqueles que fazem isso sozinhos.” Esse parceiro, Brody, é também, não só um ator, mas, atualmente, seu colega de trabalho com um papel recorrente na segunda temporada de Single Parents como o ex não confiável da Angie, Derek.
“Não há nenhuma prioridade necessariamente – a única prioridade é a nossa família.”
Perguntada em como eles priorizam suas carreiras como dois atores ativos, Meester diz: “Não há prioridade necessariamente – a única prioridade é a nossa família. Nós apenas levamos alguns momentos até descobrirmos qual decisão nos fará mais felizes e nos manterá mais unidos, e nós meio que resolvemos.” Claro, isso significa que algumas vezes um deles pode estar longe por um período estendido em um set de filmagens, mas frequentemente é balanceado quando o casal está em casa juntos por meses em um período com a sua filha de quatro anos. Ainda assim, as vezes que eles são pais sozinhos pode ser difícil. “Porque nós estamos na mesma indústria, nós passamos mais tempo longe um do outro. Quando um de nós passa mais tempo sozinho com a nossa filha – enquanto também passa muito tempo no trabalho, onde podem ter dias 12, 13, 14 horas longe do seu filho – mesmo nesses breves períodos, são tão, tão desafiadores.” Mas a Meester é grata e afortunada em continuar a trabalhar em uma indústria competitiva e inconstante, e ser capaz de ter ajuda externa – “que eu posso contar grandemente.” No entanto, não é só porque ela tem uma filha agora, Meester diz, não significa que, de repente,ela é uma expert em ser mãe. “Eu definitivamente não tenho nenhum conhecimento especial, dicas ou truques. Eu apenas jogo tudo que eu não sei no Google ou pergunto a amigos.
“Quando eu sou perguntada, ‘como você faz para ser mãe?’, eu digo apenas como todo o resto, ‘cegamente e com amor’.”
Desde que Gossip Girl permeou o espírito da época, terminando apenas sete anos atrás, o panorama da televisão mudou radicalmente, um fato do qual Meester está bem ciente. Como tal, ela é ainda mais grata pela oportunidade de trabalhar em um canal de TV. “Do meu ponto de vista, é criativamente incrível,” Meester diz. “O time de produtores, elenco e equipe técnica de “Single Parents“ têm feito isso por um longo tempo e têm ideias frescas e são muito colaborativos. Você não tem que se conformar com a fórmula antiga de canal de TV.” Meester se orgulha de como a série retrata as famílias de pais solteiros, algo que ela diz que muitos espectadores não foram expostos na televisão. Ela também tem orgulho que a série é dirigida por mulheres, criada por Liz Meriwether(deNew Girl da Fox eBlessThisMess da ABC)e a produtora executiva JJ Philbin (famosa porThe O.C., sim, mundo pequeno). Quanto a trabalhar sob a liderança de mulheres, “Eu não diria que é a razão número um” para fazer a série, diz Leighton, “mas colaborar com outras mulheres em particular tem sido incrivelmente inspirador e maravilhoso para mim – é um espaço tão confortável para se trabalhar.” Meester também está bem adequada ao gênero cômico. “Eu percebi que este é um mundo que eu gosto de viver: ir para o trabalho e rir com outras pessoas engraçadas e incríveis, fazendo uma série que é de uma vez emocionante e divertida e absurda.” Ela credita suas co-estrelas, “veteranos” da comédia, TaranKillam (SNL, Mad TV) e Brad Garrett (Raymond e Companhia), como encorajadores para que ela “faça as coisas funcionarem e dar a minha própria voz à personagem.”
“Colaborar com outras mulheres em particular tem sido incrivelmente inspirador e maravilhoso para mim – é um espaço tão confortável para se trabalhar.”
No pouco tempo de inatividade que ela tem ao filmar sua série por cerca de nove meses ao ano, Meester também está esculpindo um espaço para outra de suas paixões: sua música.Ela escreveu um álbum e está o gravando – o primeiro desde o lançamento de seu álbum folk de 2014, Heartstrings, de músicas ofegantes e sonhadoras– com a esperança de lançar novas faixas no próximo ano. “É difícil categorizar sua própria música,” diz Meester, mas ela a chama vagamente de “cantor-compositor”. Apropriadamente, ela citou Tori Amos, Kate Bush e Joni Mitchell como as influências musicais com as quais ela cresceu. Leighton  também adoraria fazer teatro de novo – ela co-estrelou em Of Mice and Men na Broadway com James Franco e Chris O’Dowd em 2014. “Eu realmente gostaria de fazer uma comédia. Eu fiz Of Mice and Men, que não era uma comédia”, ela diz, rindo do óbvio. “Eu amaria fazer alguma coisa mais leve.” Leighton Meester está cautelosamente otimista sobre revisitar Gossip Girl, programada para um reboot pela HBO Max, com Kristen Bell retornando como narradora. “Uma nova geração de garotos está chegando e, com esperança, as pessoas encontrarão seus lugares e seus personagens favoritos especiais”, ela diz sobre a sequência, que ocorre oito anos após o original. Quando a série estreou, o primeiro iPhone tinha acabado de ser lançado, e Twitter e Instagram não eram os onipresentes e envolventes modos de comunicação e compartilhamento que eles são hoje. “Não era o mesmo tipo de mundo da internet, então isso provavelmente terá um enorme impacto na série hoje. Eu tenho certeza de que será realmente divertido, e espero que irá capturar a mágica e fazê-la de um modo diferente, em um novo jeito, mais 2020.” Espera-se que o reboot seja um comentário oportuno sobre os adolescentes e as mídias sociais de hoje. Quanto à própria frequência de mídia social, Leighton diz que tenta “permanecer desapegada o máximo possível. Eu não fico necessariamente empolgada com as mídias sociais, o tipo de efeito de máquinas caça-níqueis de curtidas ou seguidores. Não me parece validar da mesma forma que a verdadeira interação da vida real.” Ela gosta de promover seu trabalho de caridade e compartilhar novos trabalhos com fãs genuínos, mas tenta limitar seu uso “como uma medida de precaução”.
“Eu não fico necessariamente empolgada com as mídias sociais, o tipo de efeito de máquinas caça-níqueis de curtidas ou seguidores. Não me parece validar da mesma forma que a verdadeira interação da vida real.”
Blair Waldorf uma vez governou o universo da moda, mas Meester, agora, em comparação, é discreta. Seu estilo, ela diz, é “mais necessidades utilitárias, um pouco menos é menos.” Ela colocou o pé no mundo do design, colaborando com a designer de Los Angeles, Christy Dawn, para criar o Macacão Leighton, no qual os rendimentos beneficiaram o Downtown Women’s Center em Los Angeles, onde Meester tem se voluntariado há anos. “Tornar-se mãe e envelhecer, tudo começa a mudar, incluindo seu senso de estilo”, diz Leighton. “Você está descobrindo o que ficabom em você, o que você gosta e o que é fácil”.    
08.11
Leighton Meester recentemente realizou um ensaio fotográfico e concedeu uma entrevista para a revista 1883. Na entrevista, a atriz fala sobre atuação, música, moda, vida pessoal , caridade e mais. Confira abaixo a entrevista e as fotos:
Leighton Meester, de Single Parents, sabe algumas coisas sobre atuação. E cantar. E macacões. E tocar violão. E como coagir você a assistir e reassistir apenas sobre tudo e qualquer coisa que ela gosta até que as suas recomendações do YouTube estão todas batizadas e piscando com infinitas montagens da pessoa de trinta e três anos. Ah, e filantropia. Com a segunda temporada da sitcom da ABC dando as boas vindas de volta à audiência toda quarta-feira neste inverno, a 1883 sentou com a Meester para esgotar seu cérebro sobre música não-popular, a realidade dos pais solteiros fora das telas, e chapéus MAGA.   O que foi que te levou a adicionar algo como Single Parents à sua lista? Quero dizer, tudo começou com a personagem e o sentimento que eu tive antes de conhecer qualquer pessoa. Apenas ler o primeiro roteiro sozinha, a perspectiva de interpretar uma mãe solteira que é tão bem equilibrada e escrita para obviamente estar vivendo em um tipo de mundo cômico mais amplo foi tão empolgante para mim. Existem enredos muito divertidos. Mas também, ela tem um filho tão sensível e está tão em sintonia com ele e esse lado de si mesma e seus antecedentes e história, e como ela lida com tudo isso sendo a provedora completa é desafiador e gratificante, e muito divertido. Agora, na temporada passada, coisa super rara de acontecer, mas vocês tiveram audiências que na verdade curtem ouvir metal… então como está o planejamento desta temporada para superar isso? Sim! Então, no primeiro episódio desta temporada nós tivemos um karaokê. Tenho certeza que [o metal] vai dar um jeito de ter uma participação de novo. Ela é definitivamente uma metaleira, algo que eu pessoalmente não me identifico por completo, mas, obviamente, é uma parte divertida da personagem que eu realmente aprecio. Dá muito sabor. Mas, é, quero dizer, eu não sei. Eu procuro por neve em toda parte, eu vou ter interações – para melhor ou pior – com o pai do meu filho; eu me divirto com o Will e vou descobrindo o que aquele relacionamento é afinal de contas. Então, é, tudo isso é muito empolgante, cheio de coisas divertidas – mas não necessariamente tão divertido quanto tocar uma música de metal. Tenho certeza de que eles vão surgir com alguma coisa. Agora, sua personagem Angie imitou o Slayerem seu aniversário de 30 anos, mas e você? O que você fez? Meus 30 anos… o que aconteceu nos meus 30 anos? [pausa] Eu não fiz nada. Eu estava em uma locação filmando alguma coisa, e eu acho que tive um jantar legal com algumas pessoas da família. Tenho certeza de que isso foi tudo. Não tão divertido quanto o da Angie. Ainda assim é sempre divertido. Você mencionou mais cedo sobre como a Angie vai ter mais cenas com o seu ex que é interpretado por Adam Brody, então é estranho ter o seu marido na vida real interpretar o seu ex na série? É estranho? É, ou alguma coisa que te faz ficar meio tipo “Uau”? Não, eu não diria que é estranho. É definitivamente muito divertido e eu amo tê-lo por perto. É meu emprego e ambiente de trabalho favoritos, e todo mundo com quem eu trabalho é meio que uma família porque nós nos vemos tanto e eles se dão muito bem. Então trazê-lo para o trabalho com essa coisa que eu realmente amo com meio que a minha família longe de casa é muito legal. E, você sabe, por qualquer razão, parece um tanto natural. Não parece ser fora do comum estar trabalhando com ele. É bem divertido na verdade. E sobre o resto do elenco? É difícil fazer as cenas com um roteiro tão divertido? Algumas vezes, sim. E eu não estou acima de quebrar, então às vezes eu definitivamente não consigo passar por uma cena sem rir, especialmente quando eu estou no set com o Taran. Ele me quebra de rir e faz isso de propósito. Movendo para um ângulo mais sério, muitas sitcoms podem tender a realmente destruir qualquer ponto de vista que estejam tentando transmitir, seja dentro de uma família asiática ou mesmo de um grupo de amigos que vivem em Nova York… Então, como você sente em fazer parte de um programa que, na verdade, não está fazendo os pais solteiros parecerem com, você sabe, personagens de TV? Bem, primeiro de tudo, eu sou uma grande fã de Friends [risos]. Mas, sim, eu gosto de pensar que a nossa série é definitivamente casada – sem trocadilhos – com a leveza e o senso de humor que você tem que ter ao ser pai, com a verdadeiramente sincera e emocional jornada que é ser pai. E então diversão e algumas vezes a frustração de às vezes estar solteiro, meio que põe tudo isso junto de um jeito que às vezes é divertido e um alívio de se ver. E então também, meio que faz você querer se sentir mais próximo dos seus amados e apreciar a sua família e seus amigos e as pessoas de quem você é próximo. Vamos falar sobre outra coisa na qual você é boa… Para todas as pessoas que ainda estão degustando o seu álbum de estreia de 2014, Heartstrings – o qual tem muitos fãs também assim como aquela música “Good Girls Go Bad” que você fez com o Cobra Starship quase uma década atrás – esta notícia é bem animadora: você tem um novo álbum saindo, eu ouvi falar! Sim, eu tenho trabalhado nele. Com esperança, alguma hora dentro dos próximos um ano e meio, embora nada seja concreto. Mas agora eu estou apenas no processo de gravação e, sim, esta é a parte do meu trabalho e da minha vida que eu estou animada em continuar fazendo. Alguma razão em particular pela qual você sentiu de voltar para o estúdio agora ou apenas parecia muito atrasado? Bem, tem sido um longo processo. Meu primeiro álbum foi um processo realmente longo também; levou alguns anos para encontrar a configuração certa e fazer tudo acontecer meio que do jeito que eu queria. E então a razão pela qual eu diria que está levando alguns outros anos é porque eu estou escrevendo e trabalhando – e eu também tenho uma filha. Então essa tem sido a minha maior prioridade, e eu tenho tido muito menos tempo para fazer quase qualquer outra coisa. Eu estou curiosa para saber: que tipo de música a Leighton Meester gosta de ouvir? Eu ouço meio que um pouco de tudo. Eu escuto algumas, sabe, tipo, música de rock modernas. Eu amo Deerhunter, e eu só os vi ao vivo alguns meses atrás… Eu amo música que tem tipo um toque de uma sensação country nela, e eu amo música de cantores-compositores que meio que têm uma narrativa pessoal. Seguindo em frente, me conte sobre aquela colaboração que você fez recentemente com Christy Dawn – que, devo adicionar, está completamente esgotada agora, então parabéns por isso. Aw, obrigada. Eu a conheci através de um amigo, e nós conversamos sobre fazer uma colaboração e o que era mais empolgante foi ter todos os lucros da venda da nossa colaboração beneficiarem o Downtown Women’s Center de Los Angeles. E então eu trabalhei com ela ao longo de cerca de nove meses – dentro e fora – e fui para algumas das sedes dela onde tudo isso acontece no Centro e eu realmente conheci ela e sua equipe. E foi apenas um processo maravilhoso; era muito orgânico, parecia muito envolvido e tudo o que ela faz e produz é com muito amor e autenticidade, e fiquei realmente impressionada com ela e toda a sua missão.E também foi muito divertido e criativo de uma maneira que nunca tinha conseguido expressar. Sabe, eu nunca fiz roupas ou desenhei nada, então foi muito interessante e divertido.Basicamente, eu apenas pensei no que gostaria de vestir e foi isso que fizemos. Não que eu esteja criticando, pessoalmente eu acho que eles são ótimos, mas por que macacões? Hmm, a razão pela qual eu originalmente quis fazer um macacão é porque ela é bastante conhecida pelos seus vestidos, e ela faz outras peças também, mas eu pessoalmente apenas uso um macacão do que vestidos por ser mãe e as roupas mais casuais… Essa é a primeira de muitas colaborações de moda para você? Eu não tenho outros planos para mais, porém eu amo a Christy então talvez algum dia nós trabalharemos em outro projeto juntas. Mas eu não tenho nenhum plano agora. Minha pergunta final para você: qual você acha que é a coisa mais angustiante que alguém poderia vestir? Angustiante? É. Que eles poderiam vestir? É. Para eles ou para mim? Você pode fazer ambas as partes. [Risos] Eu, normalmente, não fico angustiada por algo que alguém usa, exceto se fosse um chapéu de “Make America Great Again”; eu ficaria muito preocupada. Quando eu os vejo, fico muito preocupada. E quanto a mim, eu fico muito angustiada quando sinto coceira de alguma forma.
05.11
Com a estreia do filme “Semper Fi”, Leigton Meester concedeu uma entrevista ao Hollywood Life, onde ela deu detalhes sobre a sua personagem, sobre o filme e mais. Confira a matéria traduzida pela nossa equipe abaixo:
Leighton Meester é uma das estrelas do super novo filme “Semper Fi”. O HL conversou exclusivamente com a atriz sobre o que foi “empolgante” e “divertido” sobre o papel de Clara. Semper Fi segue um policial que serve na Reserva da Corporação Marinha e é confrontado com um dilema ético quando se trata de ajudar o seu irmão na prisão. Nat Wolff, Jai Courtney, Finn Wittrock e Leighton Meester estrelam Semper Fi. Leighton interpreta a personagem Clara. Semper Fi é o primeiro filme de Meester em alguns anos depois de focar primeiramente na TV. O HollywoodLife conversou exclusivamente com a Leighton sobre o que se destacou a respeito da personagem da Clara que a fez querer mergulhar nesse papel. “Foi realmente a personagem”, Leighton contou ao HollywoodLife na première em 24 de setembro de Semper Fi. “Eu realmente gosto que ela tinha um tipo de determinação sem sentido e corajosa. Ela é de uma cidade pequena, mas se deu bem de uma forma que seus amigos e familiares mais próximos realmente não conseguiram. E, ainda assim, ela é meio que atraída pelo que ama sobre isso em primeiro lugar, e as pessoas com quem ela cresceu e pelo apoio que encontra lá. Fiquei realmente empolgada em trabalhar com todos os atores e com Henry [Alex Rubin] e, é claro, trabalhar em Nova Orleans e o fato de ser um filme de ação muito divertido também.Mas realmente nas minhas cenas, eu pude mergulhar e me divertir muito com os outros atores.” Atualmente ela está estrelando a comédia da ABC Single Parents. Leighton estrela ao lado de Taran Killam e Brad Garrett em Single Parents. A série retornou recentemente para a sua segunda temporada. Anterior a Single Parents, Meester interpretou Blair Waldorf em Gossip Girl e estrelou como Deborah Reeve em Making History. Semper Fi é o lema dos marinheiros norte-americanos e significa ‘sempre cheio de fé”, o diretor disse em uma afirmação sobre o filme. “Esse lema também se aplica a amizades profundas, onde você é incapaz de trair um ao outro, e defende um ao outro não importa a pressão. Se você tem apenas uma pessoa como essa em sua vida, você tem sorte.” Semper Fi estará disponível nos cinemas, OnDemand, e Digital HD em 4 de outubro.
27.10
É isso mesmo que você leu, Meesterholic! Leighton Meester está gravando um novo álbum, a atriz e cantora concedeu uma recente entrevista ao Global News onde ela conta sobre Single Parents, sobre seu marido Adam Brody e sobre música! Confira abaixo:
Leighton Meester é conhecida por interpretar Blair Waldorf em Gossip Girl, mas agora é mãe solteira na nova comédia da Global, “Single Parents” (Pais Solteiros). Single Parents, criado por J.J. Philbin e Elizabeth Meriwether, é uma comédia que segue um grupo de pais solteiros, que se apoiam um no outro para ajudar a criar seus filhos de sete anos de idade e manter algum tipo de vida pessoal fora da paternidade. Meester interpreta Angie, uma mãe solteira de um filho chamado Graham. A série também conta com Taran Killam (SNL), Brad Garrett (Everybody Loves Raymond), Kimrie Lewis (Scandal) e Jake Choi (The Sun Is Also a Star). O Global News sentou-se com Meester em Toronto para falar sobre a segunda temporada de Single Parents, se sua personagem ensinou a ela alguma coisa sobre a paternidade e muito mais.
  • GN: Como você descreveria Single Parents para alguém que nunca assistiu ao programa antes?
  • LM: É um barril de risadas, honestamente, é realmente apenas momento a momento. Ao assistir como espectador, eu realmente aprecio isso e acho que é bobagem dizer que gosto do meu próprio programa, mas também, estar no set é uma sensação tão boa, poder ir trabalhar e rir. O programa é sobre um grupo de pais solteiros que, por qualquer motivo – seja o divórcio, nunca ter tido um parceiro sequer ou, infelizmente, em um dos casos, a morte – estamos criando nossos filhos por conta própria. Mas nós temos uns aos outros, e nossos filhos se tornam amigos e nós nos tornamos amigos. Nós ajudamos uns aos outros a nos guiar e também tomarmos conta uns dos outros.
  • GN: O que te atraiu para sua personagem Angie quando você viu o roteiro pela primeira vez na primeira temporada?
  • LM: Era a química e o quanto a dinâmica do grupo se encaixava e onde a Angie se encaixa. Eu pensei que seria realmente divertido interpretá-la. À medida que o tempo passa, sinto-me tão sortuda que consigo brincar com coisas tão divertidas. Angie é ao mesmo tempo mentalmente e sensivelmente estável mas também uma personagem completamente fora do espaço e que é muito forte. Ela definitivamente é defensiva por causa de todas as circunstâncias que a levaram a este lugar. Mesmo tendo muitas proteções e sendo meio durona por fora, ela é realmente uma boa mãe e uma pessoa carinhosa. Ela é muito sensível, vulnerável, espirituosa, e tudo isso faz dela uma personagem muito abrangente que eu tenho muita sorte de interpretar. Foi um esforço emocionante tentar incorporar uma mãe solteira. Eu sabia que, como mãe, é o trabalho mais difícil do mundo e estou dizendo isso mesmo não sendo uma mãe solteira. Fazemos isso com humor e lidamos com situações da vida real de uma maneira engraçada. Acho que isso não é destacado o suficiente na TV.
  • GN: Como você diria que a 1ª temporada difere da 2ª temporada em relação a Angie?
  • LM: A primeira temporada terminou com Angie se deparando com seu ex mais uma vez. Ele é o pai de seu filho, no qual ela criou muita raiva ao longo dos anos. Ela meio que guardou isso e decidiu odiá-lo. Ela nunca realmente falou sobre ele e nunca deixou seu filho conhecê-lo. Agora que a lata de minhocas está aberta, a raiva tem um jeito de sair. Ela envia a ele um e-mail infeliz, para dizer o mínimo. Ela está muito, muito furiosa. No decorrer da temporada, ele voltará à vida dela, quer ela queira ou não. Ela reage de uma maneira interessante. Esse é o tema do ano para Angie, e ela está sendo forçada a se abrir e levar essa conversa para o filho, quer ela goste ou não. Ela também se diverte muito nesta temporada, como namorar e conhecer pessoas e esse elemento dela ser a parte solteira de uma mãe solteira.
  • GN: Eu entrevistei seu marido, Adam Brody, há dois meses enquanto promovia Isabelle e Ready or Not e sei que vocês dois trabalharam juntos em outros dois filmes. Como tem sido a experiência de vocês dois trabalhando em Single Parents?
  • LM: Tão divertido! É tão bom, e logo de cara, eu lembro de me encontrar com todos os roteiristas antes do show começar e mencionar: ‘Sabe, meu marido é ator, se vocês tiverem interesse…’ Eles eram como: ‘Oh! Ele gostaria de fazer isso?’ Eu disse que sim antes mesmo de perguntar a ele primeiro. Então J.J. Philbin, a criadora da série, estava me contando que na última temporada nós íamos conhecer o pai do Graham, e ela apresentou o episódio para mim. Perguntei a ela quem iria interpretar o pai e ela disse: ‘No meu sonho, seria Adam’. Pensei que fazia todo sentido. Ele também é muito engraçado e foi incrível tê-lo vindo ao programa e experimentado um pouco do meu outro mundo com minha outra vida e família no programa. Chegamos ade carros juntos para trabalhar e nos divertir.
  • GN: Sua personagem lhe ensinou alguma coisa sobre a paternidade que você usaria em sua vida parental quando se trata de sua filha?
  • LM: Os personagens são construídos em grande medida para serem maiores que a vida, e o filho da Angie… ele pode ser pegajoso. Eu acho que há um elemento disso em muitos filhos, especialmente no primeiro filho. Esse é o combinado com a minha filha, mas ela não é pegajosa, ela só precisa de muita atenção, como todas as crianças. Angie tem essa filosofia realmente impressionante de como deixar seu filho cometer erros e sair sozinho e ter seus próprios sentimentos. Ela é uma mãe macia e permite que ele cometa seus próprios erros, e é assim que as crianças precisam ser. Eu aprendi isso com ela. Também aprendi por ser pai, que você não pode mostrar a eles como fazer coisas ou ensiná-los. Eles têm que aprender. Ela também me ensinou que ouvir e ver as coisas com humor é uma coisa boa.
  • GN: Você fica mais nervoso quando está filmando um show ou quando está trabalhando na Broadway?
  • LM: Broadway, um milhão de vezes. Embora você se sinta mais confortável com o passar do tempo, você chega a um lugar em que está mais relaxado e, em seguida, algo acontece ou alguém esquece sua fala e você tem que se esforçar para perceber que não deve ficar muito tranquila porque as coisas podem mudar a qualquer momento. Na Broadway, você está sempre no foco da câmera, mesmo quando não está falando. Enquanto na filmagem, você se acostuma à ideia de que aquilo será editado e eles escolherão a melhor opção. Você pode retomar uma fala e repetir, o que não é o caso da Broadway. Tudo pode acontecer, mas é também isso que o torna tão empolgante e obter feedback do público em tempo real, seja riso ou lágrimas, é muito gratificante.
  • GN: O que vem a seguir em 2019?
  • LM: Eu compus um álbum e no momento estou gravando ele, estou na metade. Então, é claro, teremos Single Parents e um filme chamado Semper Fi, que chegará aos cinemas em Outubro.
21.08
O LMBR, em parceria o Blake Lively Brasil preparamos um sorteio muito especial para os nossos seguidores! Serão 2 ganhadores, isso mesmo, DOIS. Confira abaixo os prêmios. Os prêmios são:
  • Funko Pop! da Blair Waldorf.
  • Funko Pop! da Serena Van Der Woodsen.
Para participar, vocês precisam estar atentos a algumas regras! O concorrente deve estar seguindo TODAS as regras. REGRAS:
  • Seguir o LMBR nas redes sociais (Twitter @leighmeesterbra e Instagram @leighmeesterbra).
  •  Seguir o BLBR nas redes sociais (Twitter @blakelivelybr e Instagram @blakelivelybrazil).
  • Dar RT nesse Tweet (x).
  • Marcar 2 amigos! Lembrando que a conta tem que ser ativa, não será aceita conta de lojas, famosos e spam.
  • O concorrente deve residir no Brasil!
  • Um ganhador irá levar para casa o funko da Blair e o outro da Serena!
E pronto! Você já está concorrendo. O sorteio acontecerá no dia 27 de setembro, as 20:00 (horário de Brasília). Boa sorte a todos. XOXO! SORTEIO ENCERRADO Parabéns as ganhadoras Thaíne (@ourshennig) e Júlia (@lucyboyntovn).